• Atom Jr

Maquiagens Falsificadas: entenda seus riscos

Não é novidade que as pessoas estão cada vez mais vaidosas e que a busca por recursos que melhorem sua imagem vem crescendo a cada dia, com isso o consumo de maquiagem também.

A influência por parte das blogueiras é um fator que contribui muito para o comércio de maquiagens e produtos de beleza. Em suas redes sociais elas fazem publicidade de maquiagens caras, importadas e de altíssima qualidade. Nesse contexto, há a divulgação de marcas próprias, as quais demandam muita atenção, uma vez que com o crescimento da indústria da beleza, a falsificação desses produtos também aumenta e muitas vezes a aparência destes é praticamente idêntica à dos produtos originais.


Quais os riscos que as maquiagens falsificadas oferecem ao consumidor?


Produzidas ilegalmente, em locais sem infraestrutura adequada e higiene, as maquiagens falsificadas podem conter em sua composição bactérias, elementos potencialmente tóxicos, tais como Chumbo, Arsênio, Mercúrio e até mesmo produtos cancerígenos, o que oferece um grande risco à saúde dos consumidores.


A contaminação por elementos tóxicos e por outras substâncias nocivas presentes nas maquiagens produzidas sem regulamentação e fiscalização podem desencadear uma série de doenças como infecções, inflamações nos olhos, alergias na pele, intoxicações pelos lábios e em casos mais graves problemas no coração, sistema nervoso e câncer.


Batons falsificados costumam apresentar altos teores de chumbo em sua composição, além de Alumínio que é utilizado como “estabilizador”, impedindo que o batom escorra, sem contar outros metais que são acrescentados com o intuito de realçar cor, dar brilho etc, o que é um grande perigo. O acúmulo de chumbo no organismo, apesar de ocorrer ao longo do tempo é responsável por causar doenças no sistema nervoso como encefalopatia crônica (perda de memória, dificuldade de aprendizagem, diminuição da capacidade de concentração), distúrbios de personalidade, anemia e também doenças renais, podendo levar à morte no pior dos casos.


Como identificar maquiagens falsificadas?


Uma forma de evitar o consumo de produtos falsificados e de procedência duvidosa é verificando atentamente quais locais são revendedores autorizados e licenciados da marca. Isso pode ser feito através de uma simples consulta no site oficial.

Outro ponto importante é observar cada detalhe, desde o preço até coloração e textura do produto. Não é novidade que produtos de beleza (principalmente importados) são caros, portanto, se algum site não-oficial ou alguma loja estiver vendendo algum produto por um preço que não condiz com a qualidade do mesmo, desconfie!

Atente-se às informações contidas nas embalagens como lote, prazo de validade, número de série e outros detalhes como cor da embalagem, letra e tamanho da fonte utilizada que você pode comparar no site oficial do produto, além de analisar a coloração, textura e consistência.


Como determinar a presença de elementos potencialmente tóxicos nesses produtos?


A determinação de metais como o Chumbo em maquiagens é realizada através da espectrômetria de absorção atômica com chama (FAAS).


A determinação quantitativa de elementos através de técnicas espectrométricas é baseada na absorção da radiação por átomos livres no estado gasoso. Nessa técnica, átomos do elemento presentes na amostra a ser analisada passam pelo processo de decomposição por meio de uma chama. A partir dos dados coletados, a concentração atômica é determinada pela medida da absorção ou emissão da radiação em certos comprimentos de onda característicos do elemento.


Para determinar a presença de metais em maquiagem a técnica de ICP-MS (Espectrometria de massa por plasma acoplado indutivamente) também é utilizada, uma vez que possui grande capacidade isotópica, ou seja, essa técnica é capaz de determinar diversos elementos simultaneamente.


Em suma dos fatos mencionados, torna-se claro o perigo que as maquiagens falsificadas oferecem, reforçando assim, a importância de determinar os elementos tóxicos ou substâncias nocivas que os mesmos podem apresentar. Entre em contato conosco para saber mais informações!


Referências: http://www.puc-rio.br/pibic/relatorio_resumo2017/relatorios_pdf/ctc/QUI/QUI-Gabriela_%20Marta;%20Fernanda_%20Oliveira;%20Rafael_Rocha.pdf

0 visualização

Atom Jr.

  • Ícone cinza LinkedIn
  • Grey Facebook Icon
  • Grey Instagram Icon