• Atom Jr

Entenda por que o álcool 70% é um dos produtos mais eficazes no combate a Covid-19

Depois de nove meses que a OMS (Organização Mundial da Saúde) decretou como pandemia o novo Coronavírus e, mesmo depois de tanto tempo e com a flexibilização de atividades, ainda há um alto risco de contágio devido à chamada segunda onda da doença. Assim, de acordo com as autoridades da saúde, as melhores soluções para se prevenir são: isolamento social, uso de máscara, distanciamento físico e lavar constantemente as mãos com água e sabão ou fazendo o uso do álcool 70%. Mas você sabe por que é justamente recomendado o uso do álcool 70% e não aqueles de concentrações superiores ou inferiores?

Por falta de informação, muitas pessoas já devem ter se equivocado achando que por apresentar uma concentração maior em relação ao álcool 70%, o álcool 90% seria mais eficaz no combate ao vírus. Neste texto, iremos explicar por que mesmo tendo concentrações superiores, o álcool 90% e outros superiores não são eficientes no combate a esse e outros micro-organismos.


Não é novidade que vários tipos de álcool são encontrados para limpeza em geral, mas é importante salientar que apenas o álcool 70% possui eficácia no combate ao Coronavírus. Para entender como esse álcool atua eliminando o vírus, faz-se necessário compreender sua estrutura viral e como ocorre a infecção.


A doença respiratória Covid-19 é causada pelo vírus SARS-CoV-2. Conhecido como vírus envelopado devido à membrana lipoproteica que o reveste (membrana do envelope), o Coronavírus recebeu esse nome pois, sua estrutura é semelhante à uma coroa. Essas estruturas externas tratam-se da Proteína Spike que, por sua vez, é a proteína que adere às células humanas e permite que o vírus comece a infecção.

Representação esquemática da estrutura do Coronavírus. (Créditos na imagem)


No interior do vírus encontra-se o Nucleocapsídeo, formado pelo revestimento proteico capsídeo e, pelo genoma de RNA positivo que possui cerca de 30 mil bases de comprimento. Vale ressaltar, que a infecção das nossas células pelo vírus SARS-CoV-2 ocorre quando a Proteína Spike se liga à proteína receptora denominada ACE 2. Esta, por sua vez, é uma enzima conversora de Angiotensina 2 nos rins e nos pulmões, ou seja, é responsável pela regulação da pressão arterial. Sendo assim, torna-se claro porque indivíduos com hipertensão apresentam casos mais graves quando infectados pelo vírus causador da Covid-19. Ao se ligar com o receptor, ocorre a adsorção, ou seja, a entrada do vírus nas nossas células. Em seguida, o vírus insere seu material genético que será traduzido pelos ribossomos (responsáveis pela síntese proteica) da nossa célula. Além disso, ocorre a replicação do RNA, ou seja, novos vírus SARS-CoV-2 são formados levando à lise celular (rompimento da célula) e a infecção se espalha em mais células.


Mas por que apenas o álcool 70% é capaz de eliminar o vírus?


Desde que a pandemia do novo Coronavírus se alastrou pelo mundo, o álcool 70% ganhou destaque e passou a ser utilizado no combate a Covid-19.


Segundo o Ministério da Saúde (MS) e a OMS, o álcool 70% medido na escala INPM (Instituto Nacional de Pesos e Medidas) ou seja, onde a cada 100g da solução de álcool têm-se 70g de álcool hidratado e 30g de água e, na escala GL (Gay-Lussac), ou seja, onde a cada 100 ml de álcool têm-se aproximadamente 70 ml de álcool hidratado e 23 ml de água, é recomendado para desinfecção das mãos. Vale ressaltar, que suas propriedades anti-sépticas se devem ao fato dele possuir a concentração exata de água que facilita sua entrada na célula. A água é necessária para impedir a desidratação da camada lipoproteica, além de retardar a evaporação do álcool, pois, é necessário um tempo de contato do álcool com a pele para promover a inativação do vírus.

Ao entrar em contato com o vírus SARS-CoV-2, o álcool 70% dissolve a camada lipoproteica (camada de gordura) que o protege, entrando na célula e promovendo a morte do vírus. Esse mecanismo é válido também para outros vírus.

Álcoois que apresentam concentrações inferiores ou superiores à 70% não são eficazes pois, a atividade desinfetante do álcool 70% está relacionada a concentração de água, seja em massa, de acordo com o INPM ou, em volume de acordo com o GL.


Portanto, álcoois que não apresentam água ou, que apresentam em baixas quantidades, são ineficazes no combate ao vírus SARS-CoV-2 uma vez que apenas o desidratam e não conseguem eliminá-lo. No caso do álcool 90%, por evaporar rapidamente em temperatura ambiente e, praticamente instantaneamente em contato com a nossa pele, não é capaz de promover a morte do vírus.

Além disso, álcoois com concentrações inferiores ao 70% que normalmente são utilizados para limpeza de superfícies como 46% e 54%, não possuem nenhuma ação desinfetante.


Portanto, torna-se claro que apenas o álcool 70% é eficiente no combate a Covid-19 já que elimina 99,9% do vírus. Vale ressaltar, que a melhor forma de se proteger continua sendo lavando as mãos com água e sabão constantemente e, que essa prática não deve ser substituída pelo uso do álcool em gel, o mesmo deve ser utilizado quando não se tem a possibilidade de lavar as mãos. O sabão atua da mesma maneira que o álcool, “dissolvendo” a camada de gordura que protege o vírus, entrando no mesmo e provocando sua morte.

Sendo assim, ilustra-se a importância de adotar as medidas preventivas determinadas pela OMS. Portanto, previna-se usando máscara, lavando as mãos, utilizando álcool em gel e evitando aglomerações, se possível fique em casa!
7 visualizações

Atom Jr.

  • Ícone cinza LinkedIn
  • Grey Facebook Icon
  • Grey Instagram Icon