• Atom Jr

Entenda o perigo oculto por trás dos Sucos Industrializados

Refrigerante ou suco de caixinha: qual você considera ser mais saudável?

Infelizmente, não é novidade que nenhum dos dois pode ser considerado uma opção saudável. Os sucos industrializados, principalmente os de néctar de fruta, levam em sua composição tanto açúcar quanto os refrigerantes, além de uma quantidade excessiva de corantes, aromatizantes, aditivos e conservantes.


Além disso, testes realizados nos EUA pela Healthy Babies Bright Futures (organização sem fins lucrativos voltada para a saúde infantil) detectaram níveis elevados de elementos potencialmente tóxicos em sucos de caixinha e em outros alimentos testados.


Por serem de fácil manuseio, conservação e saborosos, esses suquinhos estão presentes na lancheira de muitas crianças que, por sua vez, constituem um grupo etário de maior risco em relação ao acúmulo de elementos potencialmente tóxicos no organismo. Estudos realizados anteriormente mostraram que o acúmulo desses elementos no organismo de crianças está relacionado à problemas no desenvolvimento do sistema nervoso e do cérebro.


Os testes realizados nos EUA foram feitos em diferentes marcas de sucos, inclusive naquelas comercializadas no Brasil. Foram encontrados metais como chumbo, cádmio e mercúrio que, quando acumulados no organismo podem ocasionar uma série de doenças.


Cabe destacar, que a presença de elementos potencialmente tóxicos nesses sucos é resultado de vários fatores, um deles é o uso de fertilizantes e agrotóxicos ilegais que apresentam concentrações altas de metais tóxicos. Muitas delas estão acima dos limites estabelecidos pela legislação nas frutas, as quais são utilizadas como matéria-prima para os sucos. Nesse sentido, até a água utilizada para irrigação pode ser fonte de contaminação desses elementos.


Entretanto, não é preciso entrar em pânico. Alimentos ou produtos isolados não são responsáveis pelo acúmulo de metais potencialmente tóxicos no organismo, para isso acontecer, faz-se necessário levar em consideração uma série de fatores, tais como hábitos alimentares e meio de exposição uma vez que esses elementos são encontrados em alimentos e também no meio ambiente como resultado de atividades humanas. Não é possível eliminar 100% esses metais dos alimentos mas, desde que a ingestão destes não ultrapasse o limite máximo de ingestão diária, não há risco para à saúde.


De todo modo, é importante salientar e alertar a respeito dos riscos que oferecem se acumulados no organismo. A intoxicação por mercúrio pode causar o surgimento de náuseas, vômito, tremores e outros sintomas, sem contar que a longo prazo pode afetar os rins e o cérebro. O cádmio também causa náuseas e vômito, mas, por outro lado, pode afetar os pulmões, rins e enfraquecer os ossos. O chumbo por sua vez, além de ocasionar dores abdominais e musculares, com o tempo pode afetar gravemente as funções cerebrais, sistema digestivo, sistema reprodutor e os rins, enquanto o arsênio, além de provocar vômitos, náuseas e diarreia grave, pode afetar o ritmo cardíaco.


Como determinar a presença desses elementos em sucos industrializados?


Por apresentar uma configuração simples e boa sensibilidade, a técnica de espectrometria de absorção atômica permite determinar e quantificar metais potencialmente tóxicos em sucos industrializados. Esta técnica baseia-se na absorção da radiação por átomos livre no estado gasoso em determinado comprimento de onda.


Em suma dos fatos mencionados, torna-se claro que além dos perigos que já conhecemos, os sucos industrializados, dependendo da marca, oferecem o risco de contaminação por elementos potencialmente tóxicos, portanto, é de extrema importância determiná-los e quantificá-los. Entre em contato conosco para mais informações!
38 visualizações

Atom Jr.

  • Ícone cinza LinkedIn
  • Grey Facebook Icon
  • Grey Instagram Icon